2ª Turma tranca ação contra assessor jurídico denunciado por emitir parecer em licitação supostamente fraudulenta


2 Turma tranca ao contra assessor jurdico denunciado por emitir parecer em licitao supostamente fraudulenta


Por maioria de votos, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), na sesso desta tera-feira (17), concedeu Habeas Corpus (HC 171576) para determinar o trancamento da ao penal a que responde um ex-assessor jurdico do Municpio de Canela (RS) denunciado por ter emitido parecer em processo licitatrio supostamente fraudulento e assinado um dos contratos formalizados. Para o colegiado, no h na denncia indcio de inteno de fraudar a licitao ou meno a enriquecimento ilcito do funcionrio municipal. A deciso confirma liminar concedida em junho pelo ministro Gilmar Mendes, relator do HC.

Dispensa de licitao

Em 2017, gestores do municpio, valendo-se da dispensa de licitao, contrataram a empresa Monterry Montagem de Stands Ltda. para recuperar estradas e ponte e reformar e construir casas destrudas por ventos fortes e chuvas ocorridas na regio. Durante a execuo dos contratos, surgiram denncias sobre falta de capacidade tcnica da empresa, antecipao indevida de receitas, fraudes na execuo dos servios, desvio de recursos e prorrogaes irregulares, o que levou a Cmara Municipal de Canela a instaurar uma CPI. O assessor jurdico foi denunciado pelo Ministrio Pblico Federal (MPF) por ter emitido o parecer e assinado o contrato formalizado. A ao penal tramita na 5ª Vara Federal de Caxias do Sul (RS).

Requisitos formais

Em seu voto o ministro Gilmar Mendes reiterou os fundamentos da liminar de que o Ministrio Pblico, na denncia, pretendeu exigir do assessor jurdico conhecimento tcnico de todas as reas, e no apenas de temas relacionados ao Direito. Segundo o relator, funo do parecerista zelar pela lisura do processo apenas sob o aspecto formal, e no averiguar se est presente a causa de emergencialidade. A assinatura do assessor na minuta do contrato, portanto, serve de atestado do cumprimento de requisitos formais, e no materiais.

O relator observou ainda que no h, na denncia, nenhuma meno de que o ex-assessor tenha se beneficiado do suposto esquema fraudulento. Assim, no h qualquer elemento que o vincule subjetivamente ao fato narrado pela acusao como crime. “Em Direito Penal, no se pode aceitar a responsabilizao objetiva, sem comprovao de dolo ou culpa”, concluiu.

Por maioria, vencido o ministro Edson Fachin, a Turma acolheu o HC para trancar a ao na parte relativa ao ex-assessor.

SP//CF

Leia mais:

06/06/2019 – Suspensa ao penal contra ex-assessor jurdico denunciado por emitir parecer em licitao supostamente fraudulenta

O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

  • 11
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    11
    Shares

STF - Superior Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal (STF) é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil e acumula competências típicas de Suprema Corte (tribunal de última instância) e Tribunal Constitucional (que julga questões de constitucionalidade independentemente de litígios concretos). Sua função institucional fundamental é de servir como guardião da Constituição Federal de 1988, apreciando casos que envolvam lesão ou ameaça a esta última.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

      Deixe uma Comentário

      Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

      janela v3.3
      Jusdecisum Informativo Jurídico
      Logo