Ministro envia à Câmara laudo da PF e denúncia da PGR contra Daniel Silveira

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acolheu pedidos do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados e determinou o envio ao órgão de cópias do laudo pericial feito pela Polícia Federal nos celulares e no notebook do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), da denúncia apresentada contra ele Procuradoria-Geral da República (PGR), e do acórdão da decisão que a recebeu, no último dia 28/4. As determinações constam de dois despachos na Petição (PET) 9456.

Além de ter se tornado réu perante o STF, Silveira responde a processo no Conselho de Ética que pode resultar na perda de seu mandato, por quebra de decoro parlamentar. Por isso, o órgão do Legislativo tem solicitado o compartilhamento de peças, para fins de instrução.

Os dois processos têm origem nos mesmos fatos: a publicação de vídeo, no canal do YouTube denominado “Política Play”, em que, durante 19 minutos, Silveira ameaça e ataca o STF e defende o AI-5, a substituição imediata e a adoção de medidas violentas contra a vida e a segurança de todos os ministros.

Laudo

A Polícia Federal realizou análise pericial nos aparelhos celulares e no notebook de Silveira, em busca de informações acerca de gravações de conversas dele com outros parlamentares e autoridades públicas. Considerando a pertinência das informações preliminares prestadas pela PF, o relator determinou o envio de cópia do laudo ao Conselho de Ética.

Denúncia

O Conselho de Ética também requereu o envio de cópia da denúncia da PGR contra o deputado e da decisão do STF que a recebeu. Por unanimidade de votos, Silveira tornou-se réu no STF, acusado de três eventos criminosos: coação no curso do processo (artigo 344 do Código Penal), incitação à animosidade entre as Forças Armadas e o Supremo e incitação à tentativa de impedir o livre exercício dos Poderes da União (artigos 18 e 23 da Lei de Segurança Nacional – Lei 7.170/1973).

Segundo o ministro Alexandre, considerando que a conduta apontada na representação na Câmara é a mesma tratada na denúncia oferecida pela PGR, o fornecimento de cópia dos autos pode ser relevante na apuração da verdade dos fatos.

Leia a íntegra do despacho (laudo da PF).

Leia a íntegra do despacho (denúncia PGR).

VP/AS//CF

Leia mais:

28/4/2021 – Plenário aceita denúncia da PGR contra deputado federal Daniel Silveira por ameaças à Corte

]

Fonte STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
STF - Superior Tribunal Federal

STF - Superior Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal (STF) é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil e acumula competências típicas de Suprema Corte (tribunal de última instância) e Tribunal Constitucional (que julga questões de constitucionalidade independentemente de litígios concretos). Sua função institucional fundamental é de servir como guardião da Constituição Federal de 1988, apreciando casos que envolvam lesão ou ameaça a esta última.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela
Jusdecisum Informativo Jurídico
Logo