Portar munição desacompanhada da arma não configura fato típico, decide juiz

Apesar de ser considerado delito de perigo abstrato, o porte de munição desacompanhado de arma de fogo não configura fato típico devido à ausência de potencial lesivo, conforme entendimento dos tribunais superiores. 

Foi com base nesse entendimento, que o juiz Ricardo Emídio de Aquino Nogueira, da 15ª Vara Criminal da Comarca de Fortaleza (CE), absolveu um homem que tentou embarcar no Aeroporto Pinto martins portando um carregador de pistola calibre 380. O acusado, no entanto, não estava armado. A decisão é da última sexta-feira (24/1).

“A conduta do acusado em portar munição, desacompanhada da arma de fogo, sendo esta em pequena quantidade, não deve ser considerada fato típico em razão da ausência de potencialidade lesiva e do princípio da insignificância aplicado ao caso”, afirma o juiz. 

Durante o interrogatório, o réu, que tem 57 anos, informou que possuía registro e que a pistola ficava guardada em uma mochila, na sua empresa. Quando foi viajar, lembrou de retirar a arma, mas se esqueceu da munição. 

 A decisão foi fundamentada com base em um caso julgado pela 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. A corte considerou que o porte de cartuchos só é delituoso quando for apreendida munição em quantidade que possa ser comercializada.

Além disso, afirma a decisão, ao julgar um episódio semelhante, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça entendeu pela possibilidade da aplicação do princípio da insignificância aos crimes previstos na Lei 10.826/03, que versa justamente sobre o porte, comercialização e registro de arma de fogo.  

O uso do princípio em questão busca evitar a resposta penal desproporcional à práticas consideradas inexpressivas e que não ameaçam o bem tutelado.

A defesa, feita pelo advogado Rogério Feitosa Mota, também lembrou que já existe entendimento firmado no sentido de considerar a situação como fato atípico, uma vez que “para a ocorrência do crime de porte de munição, é necessária a demonstração de que a conduta tenha oferecido perigo concreto”. 

Clique aqui para ler a decisão
0680263-08.2012.8.06.0001

Fonte: Conjur

O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

  • 46
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    46
    Shares

Data Venia Dr's e Dra's ! O Jusdecisum é um site de informativo jurídico que tem como objetivo reunir as decisões jurídicas dos principais tribunais do país em um só lugar, facilitando assim a informação e o estudo de profissionais e estudantes da área jurídica. Abaixo, estão nossas redes sociais e contatos, nos siga, mantenha-se atualizado sobre as decisões jurídicas dos principais tribunais, venha fazer parte desta grande comunidade jurídica que estamos criando ! Sejam sempre muito bem vindos !

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela
Logo