Supremo publica coletânea de referências bibliográficas e jurisprudência sobre monitoramento prisional

O Supremo Tribunal Federal (STF) disponibiliza, no seu portal, mais uma edição da coletânea Bibliografia, Legislação e Jurisprudência Temática, desta vez com foco no monitoramento prisional. A publicação reúne precedentes para auxiliar os atores do sistema de Justiça na compreensão de como o Supremo aplica as regras constitucionais, processuais e regimentais relacionadas ao assunto.

A obra foi elaborada tendo em vista a realização da Audiência Pública do Monitoramento do Sistema Prisional, designada pelo ministro Gilmar Mendes para o próximo dia 14. Desde 2007, quando foi convocada a primeira audiência pública no STF, já foram promovidas mais de 30 audiências na Corte, viabilizando a apresentação de opiniões e reflexões qualificadas da sociedade civil a respeito do tema em análise. A inclusão de novas possibilidades de interpretações relativas às controvérsias a serem julgadas reflete a abertura do Tribunal à participação dos cidadãos em contendas que, muitas vezes, tratam de casos que impactam o cotidiano da sociedade.

Temas

A pesquisa jurisprudencial da nova edição aborda temas como superlotação carcerária, substituição da prisão preventiva pela domiciliar para mães e gestantes presas, sistema penitenciário diante da situação de pandemia de Covid-19 e instrumentos para a ressocialização.

Elaborada pela Secretaria de Altos Estudos, Pesquisas e Gestão da Informação do STF, a publicação compreende ainda uma coletânea de referências bibliográficas, decisões da Corte e normas vigentes sobre o assunto, em âmbito nacional e internacional. O objetivo é divulgar a doutrina existente nas bibliotecas da Rede Virtual de Bibliotecas (RVBI) e, ainda, prestar apoio aos trabalhos realizados pelos gabinetes dos ministros na instrução dos julgamentos.

Entre os casos elencados na edição está o HC 165704, objeto da próxima audiência pública, que discute a substituição de prisão preventiva pela domiciliar dos pais e responsáveis por crianças menores de 12 anos e por pessoas com deficiência, desde que cumpridos os requisitos legais. A Segunda Turma concedeu habeas corpus coletivo e, agora, será debatido com a sociedade o cumprimento da decisão.

Jurisprudência internacional

Além de casos tratados no Judiciário brasileiro, a obra traz pesquisa com julgamentos relacionados ao tema em outros países, com tradução para a língua portuguesa. São decisões que demonstram como a superlotação prisional e o tratamento aos detentos são abordados na Colômbia, na França e em Portugal, por exemplo.

Ainda é possível acessar informações sobre como o enfrentamento à pandemia de Covid-19 remodelou a forma como Argentina, Bélgica e Chile avaliavam a concessão de medidas alternativas à prisão, possibilitando um estudo do direito comparado sobre a questão.

Coletânea

As outras edições da coletânea Bibliografia, Legislação e Jurisprudência Temática contemplam assuntos como a Redução da Letalidade Policial, a Diversidade, o funcionamento do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima) e do Fundo Amazônia.

Para mais informações sobre acesso à íntegra dos documentos, entre em contato com a Biblioteca do STF pelos e-mails doutrina@stf.jus.br e biblioteca@stf.jus.br.

GT/EH//CF

Leia mais:

5/3/2021 – STF publica bibliografia sobre Redução da Letalidade Policial
 

]

Fonte STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Supremo Tribunal Federal (STF) é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil e acumula competências típicas de Suprema Corte (tribunal de última instância) e Tribunal Constitucional (que julga questões de constitucionalidade independentemente de litígios concretos). Sua função institucional fundamental é de servir como guardião da Constituição Federal de 1988, apreciando casos que envolvam lesão ou ameaça a esta última.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela
Logo