A Justiça do Trabalho anulou a eleição para a escolha da diretoria do Sindicato dos Empregados em Administradoras de Consórcios em Vendas, Pós-Vendas, Serviços, Produtos em Concessionárias e Lojas Independentes de Veículos Motorizados, Distribuidoras de Veículos e Congêneres em Geral do Sul de Minas – Semconc. A decisão foi da 2a Turma do TRT-MG, que manteve a sentença proferida pela 3ª Vara do Trabalho de Pouso Alegre. Para o desembargador Jales Valadão Cardoso, relator do processo, várias regras do estatuto foram descumpridas durante o pleito.

Na decisão, o magistrado determinou que seja iniciado novamente o processo eleitoral, mas seguindo o estatuto. A eleição ocorreu em 13/08/2016 com a vitória da Chapa 2. O regulamento do Sindicato prevê que as eleições para a diretoria ocorrerão por escrutínio secreto e por maioria de votos dos eleitores.

Porém, depois da aprovação do estatuto, por unanimidade, foi dado início ao pleito, mas por aclamação. “Não existe dúvida, seria obrigatória a eleição com procedimento secreto. Nesse contexto, não poderia ter sido alterada a forma de votação, sem que houvesse anteriormente alteração do Estatuto”, explica o relator.

Testemunhas ouvidas confirmaram que o sistema foi modificado. Uma delas disse que, durante o processo, “aconteceu uma discussão sobre o modo de votação, que era para ser secreto, mas houve pressão para que fosse por aclamação”, disse.

No entendimento do desembargador, a eleição não poderia ter sido realizada também na mesma data da assembleia de criação do Sindicato. Isso porque o estatuto, aprovado naquele dia, estabelece que as eleições devem ser precedidas de edital, com divulgação de prazos para inscrição e impugnação das chapas inscritas. Além disso, segundo explicou, não foi observada a exigência de eleger o membro efetivo para delegado representante perante a Federação, situação que invalida também a vitória da Chapa 2.

Ao acompanhar o relator, a Turma manteve a sentença, declarando nula a eleição e determinando que seja novamente iniciado o processo eleitoral de acordo com as regras do estatuto.

Fonte: TRT 3

Jusdecisum

Jusdecisum

Data Venia Dr's e Dra's ! O Jusdecisum é um site de informativo jurídico que tem como objetivo reunir as decisões jurídicas dos principais tribunais do país em um só lugar, facilitando assim a informação e o estudo de profissionais e estudantes da área jurídica. Abaixo, estão nossas redes sociais e contatos, nos siga, mantenha-se atualizado sobre as decisões jurídicas dos principais tribunais, venha fazer parte desta grande comunidade jurídica que estamos criando ! Sejam sempre muito bem vindos !

Conheça as teses que estão em alta no momento e veja como trabalhar com elas

Tese da Nova Correção do FGTS

Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Tese da Cobrança de Saldo do PASEP dos Servidores Públicos

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

Tese da Revisão da Vida Toda PBC

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

Tese da Restituição da Multa de 10% do FGTS

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Tese da Restituição do ICMS Cobrado Indevidamente na Conta de Luz

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

Tese da Exclusão do ICMS da Base de Cálculo do PIS/COFINS

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

Tese da Exclusão do ISSQN da Base de Cálculo do PIS/COFINS

A tese refere-se à base de cálculo do PIS/COFINS, que não deve ter em sua base de cálculo valores arrecadados a título de ISS, pois estes não se incorporam ao patrimônio do contribuinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela