Foi publicada nesta quarta (21) a Portaria Presi/Secor 105/2018, que institui o depoimento por videoconferência, ou ferramenta similar, para testemunhas com domicílio fora da jurisdição de origem da ação. De acordo a com norma, o próprio juiz da causa fará a inquirição, enquanto os atos necessários para que ocorra o depoimento continuarão sob responsabilidade do juízo deprecado na carta precatória.

Inquirir partes e testemunhas a distância não são uma novidade na Justiça do Trabalho – muitos juízes o fazem de forma esporádica. A regulamentação do procedimento, porém, é inédita. Um dos motivos que levaram a presidente do TRT-SC, desembargadora Mari Eleda, e o corregedor regional, desembargador José Ernesto Manzi, a normatizar a questão tem relação direta com a duração razoável do processo.

É que as cartas precatórias (CPs) – um instrumento de comunicação entre os juízos para atos que devam ser praticados fora da jurisdição – encaminhadas a varas com pautas alongadas acabavam atrasando a solução do processo, muitas vezes por períodos superiores a um ano. E a oitiva deveria necessariamente ser feita pelo juízo deprecado (que recebe a CP), mesmo que a pauta do deprecante (que gera a CP) estivesse em um nível ideal.

Outra questão é que os juízos deprecados gastam muito tempo para ouvir as testemunhas, em prejuízo das próprias pautas – é importante destacar que, a despeito do trabalho que consomem, as CPs não integram as estatísticas da unidade onde tramitam.

“Imaginemos que alguém tivesse que fazer perguntas para uma pessoa que morasse longe, mas, ao invés de telefonar diretamente, precisasse escrever uma carta para um colega, que então marcaria uma entrevista para fazer as perguntas, escreveria as respostas e mandaria uma carta de volta. Essa é a situação atual”, descreve o corregedor, de forma didática, a dinâmica das cartas precatórias.

Prova de qualidade

De acordo com Manzi, com as novas tecnologias, é muito mais fácil fazer uma ligação de vídeo, de forma instantânea e sem intermediários. “Esta é ideia da oitiva remota de testemunhas: o juiz da causa, que conhece melhor o processo e é o destinatário da prova, questiona a testemunha por videoconferência, na presença das partes e advogados e sem que o juízo deprecado precise intervir nos autos”, explica Ernesto Manzi.

Para o desembargador, nestas circunstâncias, a prova terá melhor qualidade porque todas as testemunhas, residentes ou não na sede do juízo, vão depor no mesmo dia. “Isso torna o processo mais confiável, pois a testemunha que ainda não depôs não terá como saber o que vão lhe perguntar, o que hoje é possível pela não coincidência de datas das oitivas”, garante o corregedor do TRT-SC.

Por fim, Manzi também destaca a economia de despesas que a medida vai proporcionar. “As partes não terão de gastar para enviar advogados a locais distantes a fim de ouvir testemunhas, pois os procuradores vão poder acompanhar os depoimentos na sede do juízo, em tempo real”, conclui.

Aplicação imediata

Segundo a Corregedoria, a portaria tem aplicação imediata. Inicialmente, os juízos deverão utilizar os notebooks já disponibilizados para as unidades ou as estruturas do Secajs. A previsão é que em março a compra da aparelhagem – que envolve webcam e microfone – esteja concluída.

Fonte: TRT 12

Jusdecisum

Jusdecisum

Data Venia Dr's e Dra's ! O Jusdecisum é um site de informativo jurídico que tem como objetivo reunir as decisões jurídicas dos principais tribunais do país em um só lugar, facilitando assim a informação e o estudo de profissionais e estudantes da área jurídica. Abaixo, estão nossas redes sociais e contatos, nos siga, mantenha-se atualizado sobre as decisões jurídicas dos principais tribunais, venha fazer parte desta grande comunidade jurídica que estamos criando ! Sejam sempre muito bem vindos !

Conheça as teses que estão em alta no momento e veja como trabalhar com elas

Tese da Nova Correção do FGTS

Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Tese da Cobrança de Saldo do PASEP dos Servidores Públicos

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

Tese da Revisão da Vida Toda PBC

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

Tese da Restituição da Multa de 10% do FGTS

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Tese da Restituição do ICMS Cobrado Indevidamente na Conta de Luz

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

Tese da Exclusão do ICMS da Base de Cálculo do PIS/COFINS

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

Tese da Exclusão do ISSQN da Base de Cálculo do PIS/COFINS

A tese refere-se à base de cálculo do PIS/COFINS, que não deve ter em sua base de cálculo valores arrecadados a título de ISS, pois estes não se incorporam ao patrimônio do contribuinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela