Em audiência realizada no Tribunal Superior do Trabalho, nesta quarta-feira (19), o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) e o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) assinaram a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2018/2019. Ela foi construída a partir de mediação e conciliação pré-processual conduzida pelo vice-presidente do TST, ministro Renato de Lacerda Paiva.

“Temos o compromisso de que a negociação se dê com imparcialidade e dentro de princípios éticos, com técnicas modernas, entretanto o resultado é sempre mérito das partes”, afirmou o ministro.

Os salários vigentes em 30/11/2018 serão reajustados em 3,56% a partir de 1°/12/2018. As condições acordadas vigorarão para os aeronautas que operam em todo o território nacional e para os tripulantes de empresas nacionais baseados ou operando no exterior, exceto aquelas filiadas aos sindicatos de empresas de táxi aéreo e de aviação agrícola.

Compromisso com a negociação

A negociação durou três semanas por se tratar de segmento estratégico para o Brasil. Na audiência de assinatura, o ministro Renato de Lacerda Paiva destacou que o papel fundamental da Vice-Presidência é com o processo.

O ministro elogiou o alto nível da negociação conduzida pelos representantes dos empregados e das empresas. “São muito maduros e conscientes da importância deste segmento para o País. Além disso,  atuaram com o desejo de sempre encontrar uma solução”, destacou.

Para o presidente do sindicato dos aeronautas, Ondino Dutra Cavalheiro Neto, o TST teve papel fundamental na negociação. “Ajudou a superar os impasses da negociação juntamente com a Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT)”, afirmou. O dirigente destacou que a CCT foi “renovada nos exatos termos da anterior, conseguindo que as cláusulas econômicas e os benefícios fossem reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Foi o máximo conseguido no momento atual no qual se encontra o País”, analisou.

O presidente do SNEA, Ronaldo Bento Trad, considerou o acordo muito importante. “Dá tranquilidade para dirigentes e clientes das empresas aéreas na época de fim de ano”. Ele observou que se trata de CCT equilibrada, construída com a participação da Vice-Presidência e da PGT.

(DA/GS/TG. Foto: Fellipe Sampaio)

Processo: PMPP-1000872-46.2018.5.00.0000

Jusdecisum

Jusdecisum

Data Venia Dr's e Dra's ! O Jusdecisum é um site de informativo jurídico que tem como objetivo reunir as decisões jurídicas dos principais tribunais do país em um só lugar, facilitando assim a informação e o estudo de profissionais e estudantes da área jurídica. Abaixo, estão nossas redes sociais e contatos, nos siga, mantenha-se atualizado sobre as decisões jurídicas dos principais tribunais, venha fazer parte desta grande comunidade jurídica que estamos criando ! Sejam sempre muito bem vindos !

Conheça as teses que estão em alta no momento e veja como trabalhar com elas

Tese da Nova Correção do FGTS

Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Tese da Cobrança de Saldo do PASEP dos Servidores Públicos

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

Tese da Revisão da Vida Toda PBC

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

Tese da Restituição da Multa de 10% do FGTS

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Tese da Restituição do ICMS Cobrado Indevidamente na Conta de Luz

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

Tese da Exclusão do ICMS da Base de Cálculo do PIS/COFINS

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

Tese da Exclusão do ISSQN da Base de Cálculo do PIS/COFINS

A tese refere-se à base de cálculo do PIS/COFINS, que não deve ter em sua base de cálculo valores arrecadados a título de ISS, pois estes não se incorporam ao patrimônio do contribuinte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela