Central do Cidadão realizou mais de 45 mil atendimentos este ano

Até 30 de novembro, a Central do Cidadão do Supremo Tribunal Federal (STF) realizou, em 2021, 45.877 atendimentos, sendo os pedidos de informações processuais e as instruções para a utilização de sistemas judiciais as demandas mais recorrentes.

A Central é um canal de comunicação direta entre o cidadão e o STF e que tem como objetivo facilitar o acesso às informações sobre a competência, o funcionamento e as atribuições da Suprema Corte. Além disso, promove ações que visam à melhoria contínua do atendimento ao público, a fim de elevar os padrões de transparência, presteza e segurança das atividades do Tribunal.

Números

Do total, 25.037 atendimentos dizem respeito a informações processuais ou procedimentais para atuação judicial no STF, e 11.079 foram recebidos por meio de formulário eletrônico, com sugestões, críticas, elogios, livres manifestações de pensamento, pedidos de informações processuais e de acesso à informação. Outros 13.898 correspondem às cartas recebidas no período, incluindo pedidos de habeas corpus e 24 atendimentos presenciais.

Acesso à informação e Serviço de Atendimento ao Cidadão

Até 30/11, a Central atendeu 320 pedidos feitos com base na Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/2011). Por meio do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), o setor também recebeu 99 manifestações relacionadas aos serviços e atendimentos do Tribunal, a partir das quais é possível identificar sugestões de melhorias, críticas, elogios e comunicações de irregularidades, tudo a contribuir para o aprimoramento dos serviços oferecidos pela Corte.

Integração com tribunais

Em dezembro de 2020, a unidade iniciou interlocução com os tribunais para a integração do processo judicial eletrônico, totalizando 489 atendimentos para esse serviço em 2021. O novo canal de comunicação é uma parceria com a Secretaria de Tecnologia da Informação, a Secretaria Judiciária e a Secretaria de Gestão de Precedentes do STF, e consiste na disponibilização de um formulário eletrônico no qual tribunais e órgãos podem interagir com o Supremo para obter informações sobre credenciamento, envio de processos eletrônicos, cadastros de usuários, solucionar problemas nos sistemas e sanar dúvidas normativas e procedimentais.

Essas demandas são analisadas pela Central do Cidadão, que faz a intermediação das soluções apresentadas pelas áreas parceiras, respondendo de forma direta e ágil. As solicitações são categorizadas conforme sua natureza e geram relatórios destinados ao aprimoramento dos serviços de integração com tribunais e órgãos parceiros do STF.

Informações processuais seguras

O serviço de informações processuais da Central do Cidadão também oferece atendimento e suporte aos advogados e jurisdicionados junto ao Supremo. Até o final de novembro, foram realizados 25.037 atendimentos, incluindo esclarecimentos referentes a trâmite processual, funcionamento, organização e serviços do Tribunal, a exemplo do peticionamento eletrônico e da emissão de certidões e guias de recolhimento.

A manutenção desse canal de comunicação se tornou essencial com o incremento dos serviços digitais e as restrições de atendimento presencial, com o objetivo de prestar assistência operacional e informações seguras aos que demandam perante a Corte.

Relatório trimestral

A Central também já disponibilizou o relatório estatístico das atividades até o terceiro trimestre de 2021 (janeiro a setembro). O documento traz informações sobre atendimentos, demandas e relacionamento com o cidadão. A consolidação dos dados busca auxiliar na definição de diretrizes para o aperfeiçoamento das atividades administrativas desenvolvidas pelo Tribunal e revela-se um instrumento de prestação de contas à sociedade.

Entre os destaques do relatório estão os resultados da pesquisa de satisfação do atendimento da Central do Cidadão, realizados a partir de formulários eletrônicos. Os dados apontam que mais de 70% dos usuários estão satisfeitos ou muito satisfeitos com o atendimento do setor, sendo a qualidade da resposta o principal motivo da avaliação, com 72,09% do total.

Clique aqui para acessar a Central do Cidadão.

EC,AD/EH//SGPr

]

Fonte STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
STF - Superior Tribunal Federal

STF - Superior Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal (STF) é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil e acumula competências típicas de Suprema Corte (tribunal de última instância) e Tribunal Constitucional (que julga questões de constitucionalidade independentemente de litígios concretos). Sua função institucional fundamental é de servir como guardião da Constituição Federal de 1988, apreciando casos que envolvam lesão ou ameaça a esta última.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela
Jusdecisum Informativo Jurídico
Logo