Plenário presta homenagem aos 10 anos da ministra Rosa Weber no STF

Na sessão de encerramento do Ano Judiciário de 2021, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) homenageou a ministra Rosa Weber pelos dez anos como integrante da Corte, que se completam no próximo domingo (19/12). Coube à amiga e companheira de bancada, ministra Cármen Lúcia, fazer o discurso em nome do Tribunal para saudar a data.

A ministra iniciou seu pronunciamento destacando a harmoniosa e afetuosa convivência entre elas, desde o começo, e a honra em tê-la na composição e na história do STF.

Cármen Lúcia afirmou que em mais de quatro décadas de magistratura, a ministra Rosa desenvolve seu trabalho com a mesma acuidade e cuidado humano de sempre. Acrescentou que ela traz de suas origens no Rio Grande do Sul a “firmeza e retidão de direção da qual não se desvia”, e “um coração tão generoso que é capaz de sofrer a dor do outro como se fosse sua”.

Democrata, defensora dos direitos sociais e das minorias e devotada à Justiça do Trabalho, onde iniciou sua carreira na magistratura, são características da homenageada enaltecidas pela amiga Cármen. Segundo ela, Rosa “é de uma generosidade tão larga quanto sua inegável gentileza”, e com uma dedicação ao trabalho “que é um alento aos que precisam de justiça”.

Sem palavras

Muito emocionada, a ministra Rosa Weber disse não ter palavras suficientes ou hábeis para agradecer o discurso afetuoso e generoso da ministra Cármen Lúcia. Ela afirmou que vive um momento de enorme alegria, “onde vejo o tempo misturado com poesia, alimentado e iluminado pela imensa generosidade nas palavras que me foram dirigidas”.

A ministra fez questão de registrar sua enorme honra “de dividir a bancada com colegas tão especiais”. Ela ressaltou que esse convívio com seus pares a ajuda “a ter uma melhor compreensão das lides e das controvérsias constitucionais que aqui aportam e a batalhar no sentido de ver triunfar a melhor justiça”.
Falando sobre a passagem do tempo, o caminho trilhado e os dez anos rapidamente passados, a ministra Rosa Weber lembrou poetas e escritores gaúchos como Erico Veríssimo e Mário Quintana, que imortalizaram esse sentimento em suas obras.

Em nome do Ministério Público, o procurador-geral da República, Augusto Aras, saudou a ministra Rosa Weber por esses dez anos de STF, afirmando que ela é uma magistrada “que tem honrado não só a Corte, mas a todos os brasileiros”, por sua conduta sensível aos fatos do cotidiano, no trato com as pessoas e com o Direito. “Uma magistrada que vem buscando realizar Justiça com uma visão que lhe é própria”.

AR/EH

]

Fonte STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a Taxa Referencial (TR), responsável pela correção monetária de precatórios e do FGTS entre os anos de 1999 e 2013, como inconstitucional.

Todos os Servidores Públicos (Federal, Estadual e Municipal) têm direito ao saque integral do PASEP. Para obter o saldo do PASEP é preciso ingressar com Ação de Cobrança.

O segurado que possui inscrição no INSS em data anterior a 29/11/1999, tendo contribuições antes deste período, somado ao fato de que requereu o benefício após 29/11/1999, tem direito à revisão da vida toda.

O STF declarou constitucional a cobrança adicional de 10% sobre a multa do FGTS nos casos de demissão sem justa causa e negou pedido de uma empresa para restituição de valores pagos ao governo.

Diversos tribunais Brasileiros reconhecem a ilegalidade da cobrança do ICMS na conta de Energia elétrica, milhões de pessoas em todo o país tem direito a restituição, veja como buscas a restituição para seus clientes.

O STF decidiu que o ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins. Entretanto, a Receita Federal continua exigindo das empresas o recolhimento do ICMS, sendo necessário entrar a Justiça para reaver valores pagos e impedir cobranças futuras.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
STF - Superior Tribunal Federal

STF - Superior Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal (STF) é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil e acumula competências típicas de Suprema Corte (tribunal de última instância) e Tribunal Constitucional (que julga questões de constitucionalidade independentemente de litígios concretos). Sua função institucional fundamental é de servir como guardião da Constituição Federal de 1988, apreciando casos que envolvam lesão ou ameaça a esta última.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

janela
Jusdecisum Informativo Jurídico
Logo